sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

A Barreira que Não Permite o Contato Extraterrestre

Visão Extraterrestre do Criador - Anderson Mace

Por Gério Ganimedes


Pensamentos do Autor

Quando iremos nos permitir, assim como no tempo de Moisés, aceitar que o mundo que habitamos não é nosso, e que somos apenas locatários de uma criação extraterrestre? Quando os Deuses aqui chegaram diante da visão limitada da espécie humana, chegaram e criaram uma conversa estreita com homens de visão rara para a época. Era muito fácil negociar com o homem humilde daquele tempo que tinha esperança e fé em divindades. Mas, hoje, como seria uma manifestação alienígena diante de olhos humanos famintos e incrédulos? Tornamo-nos uma raça desacreditada e desconfiada. Seres que não acreditam nem em si próprios quem dera em alguma raça superior espiritual e tecnologicamente? A humanidade está precisando de um gatilho para disparar a consciência superior, um estampido que faça abrir à óptica universal que se comunica com as estrelas e com outros mundos. Temos um cérebro imenso, uma cabeça enorme, no entanto só usamos um pequeno percentual do que o criador nos presenteou. Quando iremos acordar e ligar as luzes de nossa inteligência extraterrestre? Já pensou que nosso mundo se tornaria melhor se abríssemos a passagem do pensamento superior para as estrelas? E se fomos criado à imagem e semelhança de Deus? Isso não faz você criar uma lista de questões em sua mente? Este é o segredo de nossa criação. Questionar e ao mesmo tempo se permitir chegar até ele, através das estrelas, atravessando a “grande ponte”, escalar a grande barreira, que liga a pineal de nossa mente às respostas que na verdade estão aqui mesmo, dentro de nós.  Já fizemos o “contato” e isto já é fato incontestável, porém a visão limitada de muitos exclui este “cristal sólido e brilhante”, tornando-o algo bizarro, como um circo dos horrores, como lendas, mitos ou de forma mais ignorante, magia. O que de mais real acontece no mundo e vem do céu? Tudo vem do céu. Excluir a presença extraterrestre, é negar nossa própria existência. Somos filhos das estrelas, moléculas combinadas de água, carbono e poeira das estrelas. Somos um arranjo de produtos químicos, de fibras, líquidos e ainda assim muitos ainda pensam ser únicos? Onde está o centro de toda a criação? Se perguntarmos a Deus, talvez até mesmo ele senhor soberano de sua própria criação, já tenha esquecido ou não sabe. Nosso contato já aconteceu, apenas não o enxergamos porque nossa visão não está pronta para este evento incomensurável e divino.

O céu está cheio de estrelas ...

Fiquem bem

Texto: Gério Ganimedes – Anderson Mace
Colaboração: Rosana Santiago

Dedicado ao meu querido amigo Marco A. Leal (Marcão) pesquisador de campo do GEPUS

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

Abdução - Sob o Domínio do Medo

Imagem meramente ilustrativa / Edição: Gério Ganimedes
Década de 70 – Misteriosas luzes na Floresta do
Município de Colares / Pará - Brasil


Por Gério Ganimedes


Evento contestado e “forçadamente” explicado pela psiquiatria como paralisia do sono, ou distúrbios de personalidade, mas que, entretanto suas vítimas desfazem quase que imediatamente qualquer explicação médica, através de descrições terríveis e traumatizantes de suas experiências em ambientes laboratoriais extraterrestres e hostis com seres alienígenas que os torturam.  Quem viveu uma experiência como abduzido, narra seu acidente entre lágrimas e bater de pálpebras, num covil de horror incomensurável. Antes que a medicina conduza os abduzidos como meros pacientes com distúrbios de paralisia do sono, traumas ou qualquer outro distúrbio “explicado” por eles, este projeto vai mais além das limitadas colunas acadêmicas científicas.  Vamos trazer aqui, entre linhas, provas reais de vítimas de abdução alienígena, executadas com total consentimento governamental, por simples “barganha” de conhecimento científico, controle bélico e político do planeta. As agências governamentais mais secretas e os membros militares de alto escalão sabem o que está acontecendo e fazem parte deste complô internacional de silêncio. A lista de casos já abarrota qualquer base de dados, sem falar de casos importantes como o ocorrido que ficou conhecido como “Caso Pátero”, e envolveu duas abduções sofridas por um comerciante de Catanduva — cidade localizada a 385 quilômetros a noroeste de São Paulo, chamado Onílson Pátero. De acordo com informações do site History Channel, o primeiro incidente de abdução aconteceu em 1973, enquanto Pátero viajava entre a localidade de Itajobi e Catanduva.


Áudio da entrevista com o abduzido Onílson Pátero, realizada por Silvio
Santos em seu programa dominical de 28/05/1978, na extinta TV Tupi de São Paulo.


Clique no ícone para ouvir a entrevista

A linha de ação destes “seres abdutores” parece ser traçada como num “safári humano”. Escolhida por “eles”, a vítima, não tem chances de escapar ou se esconder. Muitas das vítimas de abdução mudaram de cidade, estado, de rotina, no entanto continuaram a serem sequestradas sem qualquer chance de reação. Qual seria a razão destes sequestros? Vítimas narram detalhadamente experimentos biológicos traumatizantes em seus corpos. Perfurações no nariz, olhos, órgãos reprodutores, são descritas pelas vítimas como intervenções dolorosas sem qualquer tipo de inibidor (anestésico). Com base em pesquisas e conversas com colegas ufólogos construímos um modelo comportamental dos extraterrestres e catalogamos as abduções em três tipos: As acidentais, as herdadas e por último as seletivas.  

Intervenções cirúrgicas sem inibidores - Trauma e dor

Abduções Acidentais

As abduções acidentais são aquelas como no caso Pátero onde a vítima encontra-se numa situação de total isolamento, como numa estrada, campo (Caso Travis Walton / Filme - Fogo no Céu), praia deserta, acampamento na montanha, etc. Neste tipo de sequestro a vítima foi encontrada e selecionada totalmente ao acaso. Entretanto, muitos dos casos de abdução acidental tornam suas vítimas reincidentes de abdução, e vai mais além, em muitos dos casos por muitos anos, o escolhido é raptado repetidamente por seus algozes.



Abduções Herdadas

Este tipo de sequestro alienígena, segundo pesquisas e relatos de suas supostas vítimas, pode ser traduzido numa espécie de estudo evolutivo. Começa com o pai ou a mãe e estende-se por gerações futuras. Parece fazer parte de um estudo evolutivo do DNA, seja ele humano ou já híbrido, sucessivo às primeiras intervenções nos ancestrais da vítima de abdução.


Vítima desde os 14 anos de idade, hoje com 50 anos - a vítima X disse em entrevista para o Projeto Quartzo Azul: "... Meu filho e minha mãe não conseguiam se mover enquanto eu era levada ..."

Natural de São Paulo morou por quatro anos em Santa Cruz do Rio Pardo / SP cidade do interior, hoje mora em Santo André e as abduções continuam... Lágrimas e tremor na voz ao contar suas terríveis experiências. 


Abduções Seletivas


Neste tipo de rapto extraterrestre, temos um caso bem específico e que demonstra que a vítima provavelmente tem alguma característica biológica rara ou especial e que chamou a atenção “deles”. Sangue, composição óssea, atividade cerebral, energia Kirlian ou outro componente orgânico especial da constituição do indivíduo. Pesquisas e narrativas dos protagonistas deste tipo de rapto demonstraram atividades alienígenas com intervenções cirúrgicas agressivas deixando marcas ou cicatrizes profundas, traumas e medo que dominam suas vítimas para o resto de suas vidas.

Continua...

Fiquem bem

Texto: Gério Ganimedes – Anderson Mace
Colaboração: Rosana Santiago

Postagem dedicada ao meu querido amigo Jeferson Durand por seu incansável apoio e confiança em meu trabalho.  

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Operação Horizonte - em Busca dos Ovnis


Em uma nova etapa de trabalho e pesquisas, o Projeto Quartzo Azul convida seus leitores, amigos, parceiros e colaboradores à participarem enviando material de vigílias, fotos e vídeos de supostos Ovnis para que juntos possamos analisar, discutir e concluir sobre os materiais enviados. 


Fotos e vídeos podem ser encaminhados para gerio.ganimedes@gmail.com ou para meu Whatsapp +55 11 94046-3192

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Os Invasores dos Sonhos – Criaturas Extraterrestres Conhecidas como GREYS


O Pesadelo  é uma pintura a óleo de 1781 do artista anglo-suíço Henry Fuseli. A pintura mostra uma mulher em sono profundo com os braços jogados abaixo dela e com uma figura demoníaca e simpática agachada em seu peito / Créditos: Wikipedia.
                                                                                           

Por Gério Ganimedes

Quando dormimos de alguma maneira abrimos um portal para outra dimensão, uma passagem, talvez até de nível estelar ou cósmico, mas, até aonde esta dimensão se estende e com quais mundos podemos nos conectar? Estamos seguros, atravessando estas barreiras dimensionais? Pesquisas profundas, dedicadas e altamente científicas, registradas por nomes respeitados da comunidade médica da psiquiatria internacional, estudam este fenômeno ao qual já foi confundida com doenças mentais e transtornos psicológicos, despertando consequências diretas como paralisia do sono, depressão e síndrome do pânico. No entanto, a verdade é que se trata de um evento extraordinário chamado de “rapto extraterrestre” ou abdução noturna.  As vítimas envolvidas neste tipo de experiência segregam níveis altos de substâncias de ignição em suas tireoides, modificando seus hábitos alimentares, rotinas e principalmente despertando uma marca característica do “abduzido” - a insônia, que muda radicalmente sua vida. O falecido e respeitado Dr. Roger Leir (1934-2014) estudou e pesquisou casos de pacientes que eram implantados com supostos “dispositivos alienígenas” (implantes) que permitiam a localização da vítima para uma espécie de “abdução repetitiva”. Estes sequestros noturnos podem servir como amostra e estudo para estes seres que aparecem nos sonhos em formas humanas singelas, mas que na verdade são extraterrestres agressivos da “classe médico-científica” e que tornam a vida de seus escolhidos ou “cobaias”, ao mero acaso, um verdadeiro inferno.

Abdução Noturna - Imagem meramente ilustrativa
Crédito: Anderson Mace 

Existem formas e regras a serem seguidas que impedem que estes seres “nefastos” aproximem-se de nós e nos tornem “ratos” de suas experiências, seja qual forem seus objetivos ou propósitos científicos. O que vale no toque deste acorde sinistro, é que estamos lançando aqui um sinalizador para todos aqueles que viveram vivem e viverão experiências semelhantes a nossa. O que fazer num caso de contato através dos sonhos onde nossos experimentadores acessam nossos pensamentos mais profundos do subconsciente?



"O questionamento é arma arte do desconforto, então, questione sempre o que você está vivendo em sonho, mesmo que a presença lhe pareça agradável e singela. Quando sonhamos temos certo controle sobre nós do que acontece, portanto, evite pessoas que se pareçam com formas agradáveis, sensuais e até mesmo angelicais, pois os GREYS são os artistas da personalidade perfeita e assumem a forma mais adequada para transportá-lo para sua mesa de análise".  Anderson Mace

Esta matéria está sendo apresentada com o intuito de alertar, leitores e amigos, com base no depoimento de inúmeras testemunhas de casos de “sequestro noturno” ou em sonhos, paralisadas em suas camas, onde se tornam vítimas acidentais e personagens de experiências terríveis que sofrem marcas em seus corpos, traumas, e são encaminhados para o corredor do medo e do pavor sem entenderem a razão. Síndrome do pânico e depressão por falta de apoio e compreensão da família é a consequência direta deste tipo de evento. Então, não estamos aqui para brincadeira, e este projeto tem apena um propósito: “Compartilhar experiências inexplicáveis” e tentar ajudar. Estes eventos são reais e disparam uma série de efeitos colaterais em suas vítimas. Para muitos de nós a hora de dormir torna-se uma agonia. O propósito desta postagem é fazer com que aqueles que sofrem este tipo de experiência dividam aqui em nosso grupo no mais total sigilo, pois se lembrem, está na hora de dormir... E quem já teve este tipo de experiência sabe! Negar a presença deles ajuda a mantê-los afastados... Mas por quanto tempo?

Fiquem bem

Texto e pesquisa: Anderson Mace – Gério Ganimedes
Colaboração: Rosana Santiago

Gério Ganimedes

Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Óvnis - Os Fantasmas do Céu

Rastros de condensação normais de uma 
aeronave - jato comercial terrestre, mas onde está o avião?


Por Gério Ganimedes

Óvnis utilizam tecnologia holográfica para criar silhuetas de “falsos aviões” em nosso céu, mas deixam rastro de sua tecnologia.




Aviões Fantasmas - Holografias projetadas para enganar
nossos olhos?
Todos nós com certeza, já paramos para observar um avião comercial cruzando o céu sobre nossas cabeças, e mais ainda, certamente, nos perguntamos: “para onde está indo ou de onde está vindo?” Contudo, você já se perguntou se o que você está vendo é realmente um avião comercial? Através, de recente pesquisa do Projeto Quartzo Azul contabilizamos inúmeros registros, através do mundo, de vídeos e fotos daquilo que as testemunhas pensaram tratar-se apenas de um simples avião a jato, mas que na verdade era uma “camuflagem especial” de algum tipo de veículo extraterrestre refletindo o que é comum diante de nossos olhos e para a mente humana. “Eles” aparecem entre as nuvens, ou mesmo em um céu “azul de brigadeiro”, envoltos em um “invólucro”, disfarçados como tecnologia terrestre. Entretanto, apesar de eficiente, esta tecnologia extraterrestre assim como qualquer outra, deixa rastros. Você já ouviu falar da “Geleia de Estrelas, Jelly Star ou Star Jelly”?

Jato comercial? Mais parece uma projeção disforme de
de uma aeronave terrestre

Substrato orgânico que se precipita sobre a superfície terrestre e que já intrigou centenas de estudiosos e cientistas.  Esta substância ou substrato, já foi pensado ser o resultado da entrada na atmosfera terrestre de chuva de meteoritos ou “estrelas cadentes”, no entanto o elemento orgânico esconde muito mais detalhes por de trás de sua transparência e aspecto gelatinoso. Os primeiros relatos da “geleia de estrelas” apareceram nos registros de John of Gaddesden (1280-1361). Segundo as análises preliminares é uma substância gelatinosa, às vezes encontrada na grama ou mesmo em ramos de árvores. A geleia de estrelas é descrita como uma gelatina translúcida ou branca acinzentada que tende a evaporar pouco depois de ter "caído".  Os primeiros relatórios da substância datam do século XIV e continuaram até o presente. Esta substância já foi tratada como folclórica, como substância liberada por sapos, no entanto as análises efetuadas nas amostras não chegaram a resultados conclusivos de sua origem. Acredito que diante dos eventos de avistamentos de supostos óvnis na Rússia e na Inglaterra (clique nos links para ver as matérias), e posterior aparecimento desta substância, fica quase que constatado se tratar de um substrato orgânico liberado no deslocamento destes veículos extraterrestres em nossa atmosfera – uma espécie de película de reflexão para a camuflagem. Para toda imagem projetada deve haver uma superfície ou componente reflexivo para projetar a imagem que desejamos. Se raças alienígenas penetram nossa atmosfera e utilizam linhas de tráfego elétrico, magnético ou qualquer outro meio cartográfico de deslocamento, acredito que, de alguma maneira assim como nossos veículos liberam gases tóxicos, os deles de alguma maneira também liberam algum tipo de substância. “A silenciosa e implacável linguagem dos fatos”.


“Todo e qualquer processo de transformação de energia motora gera substratos resultantes e por mais avançada que seja uma tecnologia sempre irá gerar algum tipo de decomposição química, elétrica ou orgânica”.  Anderson Mace

Tramandaí / RS - Brazil - 2014

Fiquem bem

Texto, estudos e pesquisas: Anderson Mace – Gério Ganimedes.
Colaboração: Rosana Santiago.

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O Porquê das Lendas? A Conexão Entre a Mitologia, Folclore e os Extraterrestres

Imagem meramente ilustrativa
Criatura da Noite - Imagem 3DSMax 2010 by Anderson Mace


Por Gério Ganimedes

Partindo-se das linhas dos mais antigos registros literários, que já foram encontrados catalogados e traduzidos, encontramos narrativas de criaturas ou seres bizarros que assombravam aldeias, florestas, dizimaram exércitos e que até mesmo destruíram impérios inteiros. Estas criaturas mitológicas e seres lendários aparecem até mesmo nos dias atuais, através da sétima arte, tornando-os seres imortais. Mas, porque estas criaturas lendárias foram criadas? Quanta criatividade fluiu e derivou, através do tempo, da mente destes escritores que apresentam de forma tão detalhada estes seres fantásticos? Para colocar um ponto de apoio na alavanca que moverá minha teoria, irei classificar alguns destes personagens mitológicos em dois grupos bem distintos. Grupo I - Os híbridos, ou criaturas resultantes de experiências genéticas extraterrestres entre humanos e animais. Grupo II - Os Reais Extraterrestres que nos visitam a milhares de anos, descritos por suas testemunhas oculares através de uma visão cultural regional que modifica as características destes seres, de acordo com a região, continente e cultura que foram avistadas.



Grupo I - Híbridos


Criaturas extraídas da mitologia grega e mantidas vivas até os dias atuais através de obras cinematográficas destacam-se em meu critério de pesquisa: O Minotauro - meio homem, meio touro; O Centauro - meio homem, meio cavalo e o Sátiro - meio homem, meio bode. No meu âmbito de visão, estes seres raros, são resultado de manipulação genética “avançada” por raças de extraterrestres que montaram laboratórios na Terra para gerar raças resistentes para uso em tarefas que exigiam força e inteligência. Extraindo detalhes minuciosos, das linhas da literatura, estes robustos e belos seres eram temidos por sua força e inteligência.


Estas criaturas existiram ou foram criações da brilhante mente humana? Creio que “quando uma história é contada com muitos detalhes, pode haver um fundo de verdade ou no mínimo ela esconde fatos que devem ser mantidos em segredo”. Distorções destas narrativas acontecem ao longo do tempo, mas quem sabe os “Deuses” que aqui estiveram e ainda hoje nos visitam fizeram com que os reais fatos históricos fossem registrados apenas como lendas e mitos.



Grupo II – Os Reais Extraterrestres

Os seres extraídos do folclore regional brasileiro como o Curupira (Citado pelo Padre José de Anchieta, Século XVI) e o Boitatá fazem parte desta minha visão hipotética. O Curupira conhecido como o ser protetor das florestas foi descrito no Brasil dos bandeirantes e jesuítas como uma criatura de cabelos vermelhos que corriam ao longo da coluna, de pele esverdeada e viscosa, com os pés virados para trás e que como um demônio da floresta enlouquecia homens fazendo-os se perderem na mata e sequestrava (ou será que Abduzia?) crianças por até sete anos e após isso os devolvia para seus pais. Pelos traços das lendas regionais o Curupira aparece de sul a norte do Brasil, mudando muito pouco suas características e hábitos nas florestas. Estaríamos diante de uma criatura semelhante ao extraterrestre do caso Varginha/MG - Brasil? 

Et de Varginha/MG - Brasil

O Boitatá é outra criatura folclórica curiosa que aparece em diversas regiões do Brasil com poucas alterações nas características descritas pelas testemunhas que o encontraram. A enorme serpente de olhos de fogo vista rastejando pelos campos, criando feixes luminosos e que segundo a lenda poderia enlouquecer quem a olhasse direto nos olhos, foi extraída das analises e registros (cartas, informações e fragmentos históricos do Padre José de Anchieta – Rio de Janeiro 1933) como um protetor dos campos e animais. 


O Padre Anchieta tentava entender, através de seu contato com os índios, o que eles realmente encontravam na mata. Entretanto, houve relatos de aparições do Boitatá em áreas da região sul do Brasil, onde animais foram encontrados mutilados, como nos eventos de um animal conhecido no meio ufológico como Chupa cabras




Estaria por trás dos mitos, lendas e folclore, a verdade sobre os extraterrestres? E se desde os sumérios, egípcios, atravessando a Grécia antiga, Roma e todo o período de descobrimento do Brasil, todas estas criaturas chamadas de lendárias, mitológicas ou folclóricas sejam a mais elementar prova da existência extraterrestre em nosso planeta? Elucubrar é a semente germinante de nossa evolução ... Pense sobre isso!

Fiquem bem

Texto: Anderson Mace - Gério Ganimedes
Pesquisas: Rosana Santiago

Atrás de todo grande homem existe uma grande mulher

Dedicado a minha querida e amada esposa Rosana por seu incansável apoio ás minhas pesquisas

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

domingo, 15 de outubro de 2017

RODs ou Skyfish - Os Óvnis Criados pela Tecnologia Óptica



Por Gério Ganimedes

Anomalias lineares capturadas geralmente em vídeo, mas também impressionadas em fotografias, não sendo observadas no momento do registro fotográfico ou filmagem muitas vezes são erroneamente confundidas com Óvnis (Objetos Voadores não Identificados) ou naves alienígenas.  Estas anomalias ou "aberrações ópticas" apresentam normalmente características alongadas com apêndices perpendiculares ao longo do corpo. Sua aparência geral é de uma haste longa e reta com ramificações horizontais (podem parecer longas cápsulas ou formas ovais como a dos antigos balões dirigíveis). Às vezes, essas ramificações do corpo principal podem ter "abas curvadas" ou "asas" chamadas de membranas por algum especialistas e pesquisadores. RODs aparecem em todo o mundo e já foram observados sendo perseguidos por aves em pleno voo. Algumas pessoas acreditam que são criaturas da criptozoologia e representam uma forma de vida ainda desconhecida, ou talvez, até de origem alienígena. Outros pensam que são formas reflexo da atividade paranormal, talvez relacionadas a Orbes (esferas flutuantes de energia) no entanto, muitos pensam e afirmam nada mais são que insetos capturados (filmados ou fotografados) em pleno voo. Testes fotográficos recentes comprovaram que é fácil reproduzir estas "hastes voadoras" ou RODs. 



Um caso clássico de um efeito RODs, só que, criado pelo deslocamento de um avião aproximando-se de um aeroporto na China e registrado por uma câmera fotográfica ajustada com obturador para longa exposição, tornou-se um registro Óvni contestado como autêntico (o rastro brilhante mais intenso foi deixado pelos faróis da aeronave comercial durante a descida)

A velocidade do obturador de uma câmera, seja ela analógica ou digital, associada ou combinada a abertura do diafragma, podem resultar em condições especiais únicas para que estes "estranhos seres" sejam capturados e registrados apenas por tecnologia óptica. 

ROD do tipo Charuto com aletas

Um ponto interessante nas discussões sobre os RODs envolvem o fato de que eles só são capturados em vídeo ou fotografia, mas nunca foram vistos a olho nu. Isso geralmente é explicado dizendo que eles voam rápido demais para os olhos humanos perceberem. Então, se essas hastes deslocam-se tão rapidamente, mais rápidas do que insetos ou pássaros, presumivelmente, como é que seus corpos e, particularmente, asas ou apêndices estão sempre perfeitamente congelados por todas as câmeras? Não deveriam aparecer como borrões de movimento em todas as situações, exceto os tempos de exposição mais curtos? É inconcebível que todas as câmeras que já tenham capturado estas fotos de RODs tenham sido definidas para tempos de exposição extremamente curtos, então, onde estão os borrões ou rastros destas "criaturas"?  

ROD do tipo centopeia

E o que são os apêndices conectados ao eixo principal destas "hastes voadoras"? Os apêndices, ou ramificações perpendiculares das hastes são formas criadas, porque a maioria das asas dos insetos são quase transparentes e elas apenas refletem a luz em determinados ângulos ao sol ou outra fonte de luz. Por isso, você só vê a parte da "batida de asa" do inseto onde a asa atinge a fonte de luz produzindo um reflexo brilhante e contínuo. Alguns desses apêndices não são retos, parecendo mais como "superfícies curvas contínuas" ou onduladas para cima e para baixo chamadas de "membranas". Estas membranas são criadas ​​por insetos cujas asas são mais opacas do que de outras espécies, como as mariposas e as borboletas. 

RODs escuros

A ideia desta postagem não é, de forma alguma derrubar a teoria Óvni de registros de vídeo ou fotografia tornando-os falsos, mas sim apurar o método do observador e analista para discernir e descartar hipóteses levantadas por fotógrafos e operadores de câmera que sequer viram o objeto durante o registro de seu real objetivo ou cenário no momento da gravação. Uma análise apurada, conhecendo-se profundamente as anomalias e aberrações ópticas torna-se mais segura, sem alimentar falsas esperanças de que o que foi registrado tenha sido uma nave ou ser alienígena. Os RODs ou Skyfish apresentam-se numa grande variedade de formatos que vão de longas cápsulas acinzentadas, linhas luminosas repletas de apêndices brilhantes, e até mesmo serpentes ou dragões de luz. As várias formas destas "criaturas da tecnologia óptica" provavelmente refletem as espécies de insetos a partir das quais são derivadas. As diferenças em seus formatos, provavelmente são principalmente criadas pelo ângulo da câmera (fotográfica ou de vídeo) em relação ao trajeto de voo do inseto. Na grande maioria os RODs são de luz com corpo brilhante ou esbranquiçado, mas também raros aparecem na cor escura. Isso se reflete pelo fato de que eles estão bem expostos a luz, já do contrário, quando contrastados pelas sombras aparecem com sua silhueta escura. 
Clique na imagem acima
para ver um vídeo de exemplo

Agora, ao analisar um vídeo ou uma foto, com certeza, o leitor terá em mãos mais uma técnica para observação para não se prejudicado em sua análise.


RODs na plantação 


Fiquem bem


Texto e pesquisa: Gério Ganimedes
Colaboração: Rosana Ganimedes

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Neve de Sangue - Guerra dos Mundos?




Por Gério Ganimedes

Mudanças climáticas intensas e agressivas estão criando um fenômeno conhecido como "neve vermelha", consequência da alta reprodução de micróbios que estão sobrecarregando as geleiras do Ártico fazendo com que a neve derreta ainda mais rapidamente.


"Neve de Melancia" preocupa os cientistas - Veja aqui no History


Em detalhe os nódulos de reprodução das algas

O fenômeno também conhecido como "neve de melancia" é causada por um tipo de alga que desenvolve-se em água fresca e muito gelada. Conhecida como Chlamydomonas Nivalis, esta alga contém um pigmento vermelho cor de sangue (pigmento de carotenóide vermelho secundário - astaxantina), muito semelhante as algas que já causaram o fenômeno da Maré Vermelha nas praias do Hermenegildo no estado do Rio Grande do Sul - Brasil. O fenômeno também conhecido como "neve de melancia" é comum durante o verão ao longo das regiões polares costeiras, bem como nas áreas alpinas. Estes micro-organismos que vivem na neve, podem acelerar substancialmente o derretimento das geleiras tornando a superfície da neve mais escura o que faz diminuir a reflectividade da luz solar, isso, por sua vez, estimula o crescimento de mais algas, criando um "ciclo vicioso nocivo" e perigoso. De acordo com um estudo publicado na Nature Geoscience pelo professor Roman Dial a neve branca e fresca reflete a maioria das impurezas da luz solar, com a neve suja ou de cor alterada (mais escura) existe um aumento do derretimento e a medida que a neve se aquece mais e mais algas nascem e se reproduzem em alta escala. 



Criando um cenário terrível, sombrio, surreal e fantasmagórico no formato "Guerra dos Mundos", parece que os "extraterrestres" que invadiam apenas a tela do cinema e nossos sonhos mais terríveis, estão se apresentando como uma realidade minúscula alienígena, porém mortal.

Cena do filme Guerra dos Mundos 

Fiquem bem queridos leitores e amigos


Texto e pesquisa: Gério Ganimedes
Colaboração: Greg A. Biólogo/EUA e Rosana Ganimedes
Fontes: Wikipédia, Nature Geoscience 


Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...