terça-feira, 8 de maio de 2018

A Marca da Besta e as Conexões Extra e Terrestres




Por Gério Ganimedes

Já não é de hoje que grupos e teóricos da conspiração fomentam a ideia de que em breve uma grande maioria da população terrestre carregará consigo uma espécie de sensor, implante eletrônico ou mais arrojadamente chamado de “marca da besta”. Uma espécie de sinalizador de localização contendo todos os dados do inoculado ou usuário e que sem este marcador o indivíduo não fará mais nada em sua vida, nem mesmo compras de matérias básicas de sobrevivência. Mas, este tipo de implante ou dispositivo precisaria necessariamente ser introduzido em nós seres humanos, ou pode simplesmente ser algo transportado na mão de cada indivíduo com um acessório de extrema necessidade, totalmente “inofensivo” para nós? Você já se perguntou o que faria sem seu celular na mão? E se este equipamento compacto repleto de vínculos e informações pessoais suas se transformasse num Cavalo de Troia em sua vida? Imagine-se com todos seus contatos, preferências, fotos de sua vida, rede social de amigos, dados bancários e outros documentos transportados em um único dispositivo que acompanha você e que permite a qualquer um, digo, qualquer um, saber onde você está o que está fazendo, comprando, com quem está falando e o que você está compartilhando com outros. Você pode estar acessando seu banco, transportando sua carteira de motorista, seu saldo bancário, seu título de eleitor, toda sua vida está num único dispositivo. Pergunto: Precisam de um implante instalado dentro de você para saber quem você é? Pergunto e já respondo. Não! Eles já têm tudo que você é, gosta, tem preferência e faz e o mais importante, sua localização. Então, será que implantes mudaram de tamanho ou a definição é errônea e carregamos todos, nosso verdadeiro implante na mão, bolsa ou bolso?


Vamos voltar no tempo e aos textos dos livros sagrados que falam de um apelo sinistro, motivo ao qual o ser humano representado pelos símbolos quânticos universais e que atravessaram milênios da existência, Adão e Eva foram expulsos do paraíso. Nesta interface temporal simbólica aparece um ícone da mudança e exclusão – a Maçã (Gênero Malus, no latim (também ramifica mau, ruim, etc) . Representante onipotente dos excluídos. No entanto, a simbologia da fruta vermelha mordida, ícone do desejo e desafio perante a grandiosidade vontade de Deus não está sozinha e neste cenário no mínimo codificado de nossas mais ancestrais conexões e linguagens simbólicas surge também à figura de uma serpente. Mas, aonde o Gério quer chegar com toda esta carga de simbologias e correlações religiosas?


Quero dizer que em minha óptica visionária, muitos já deveriam ter chegado e colocado seu foco intelectual e lógico, mensurando que na verdade, pelo menos uma grande fatia da população mundial já está chipada” sem a necessidade de ser inoculado com um implante eletrônico. Quem tem iPhone ou outro tipo de dispositivo “celular”? Quem carrega a maçã mordida em seu bolso? Já perceberam que para uma conexão de rede com este tipo de dispositivo você tem que prestar conta de toda sua vida para obter suporte incondicional do fabricante? Você já percebeu que sua localização é um critério básico para a funcionalidade de seu dispositivo móvel? Seu número, seu CPF, seu CEP, seu endereço. Além disso, o que mais falta para este dispositivo se tornar um “implante” de controle do que você é ou faz? Tudo o que você faz é descaradamente transmitido para a rede. Você precisa ser implantado, diante deste aparato eletrônico em sua mão? Mas, qual a relação deste tema com o Projeto Quartzo Azul, que trata exclusivamente de temas ufológicos e astronômicos? A conexão vem dos mesmos acervos simbólicos dos antigos livros sagrados. A conexão reptiliana extraterrestre com os "dispositivos selecionadores" nasce exatamente aqui. E esta é a “lebre que quero levantar desta moita”! O que é bom e o que é mau? O que é certo ou é errado? Porque a figura da serpente aparece junto à maçã? A marca da mordida já demonstra que o que era virgem tornou-se adulterado. Quem é o bem, quem é o mal... Onde está seu implante? Onde está seu celular? Ou ...

Pense nisso, enquanto lhes digo... Fiquem bem


Texto: Gério Ganimedes / Anderson Mace 
Divulgação: Rosana Santiago

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...