quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poderia um Planeta Gigante Ter Sido Ejetado de Nosso Sistema Solar?

Crédito: NASA

Começaram a preparar terreno, para a possibilidade real, de existência de um planeta errante.

Cientistas estão sugerindo, através de um novo conjunto de simulações de computador, que existiu “uma vez”, um quinto planeta gigante, além de Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

Este quinto planeta, chega a soar como título de filme de ficção científica, “O Quinto Elemento”, talvez sendo trazido ou transportando, até nós, como sequela do filme de 1997. Entretanto este quinto planeta pode ser real. Esta hipótese sugere que um mundo gigantesco foi arremessado para fora do nosso sistema solar a quatro bilhões de anos atrás e estaria agora à dezenas de milhares de anos-luz de distância da Terra.

Mas neste ponto surge a pergunta: Porque suspeitar, que um planeta gigante teria existido e fora arremessado, para fora de nosso sistema?

Embora os astrônomos tenham descoberto muitos sistemas planetários em torno de estrelas vizinhas, nosso próprio sistema solar parece que é a exeção a regra. Cientistas estão descobrindo, que o nosso sistema é um lugar incomum, ordenado, onde os planetas se comportam em órbitas que são quase circulares. Enquanto isso, nos sistemas planetários em torno de outras estrelas encontradas, suas órbitas podem ser muito inclinadas (Os oito maiores planetas de nosso sistemas solar são coplanares - órbitas
que se situam no mesmo plano de outra). Há muitos planetas gigantes que migraram perigosamente perto de suas estrelas. Outros planetas estão em movimentos tipo “montanha-russa” órbitas altamente elípticas, que alternativamente os congelam, assim como podem cozinhá-los, proximos de suas estrelas. Ainda mais atordoante, é difícil para os teóricos, construir um modelo de formação de planetas numa visão como do nosso sistema solar. Porém, um novo conjunto de simulações de computador geradas por David Nesvorny, do Southwest Research Institute em Boulder, Colorado, mostra que isso vai funcionar e provar que uma vez, realmente existiu, um quinto planeta gigante, além de Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

Os modelos de Nesvorny, posicionam um quinto planeta, de várias dezenas de vezes a massa da Terra em vários locais possíveis no sistema solar exterior: A meio caminho entre Saturno e Urano, e para lá de Netuno. Nesta intrincada disposição de orbitas, o quinto planeta teria sido expulso, após uma briga territorial espacial, com Júpiter. Isto pode parecer extraordinário, mas há uma abundância de evidências, para planetas órfãos de livre flutuação ou planetas errantes em nossa galáxia. (Está me parecendo, que estão começando a admitir a existência real de um planeta-x). Uma pesquisa entre 2006-2007, da Via Láctea, usado lentes gravitacionais, foram encontrados 10 objetos escuros flutuando na frente de estrelas no fundo distante. Estatisticamente, isso significa que pode haver tantos, como centenas de bilhões de planetas, vagando livremente dentro da nossa galáxia.

Em primeiro lugar, sabe-se que Urano e Netuno estão muito longe do Sol, para que eles tenham se formado, em seus locais atuais. Simplesmente não houve tempo suficiente e materiais para que eles se aglomerassem em mundos de 15 vezes a massa da Terra. Urano e Netuno devem ter sido formados mais próximo ao sol e depois migraram para o exterior. Isso implica, que o nosso sistema solar era muito caótico. Corpos menores, foram gravitacionalmente chutados e esta troca de hierarquia resultou num ampliação das órbitas dos planetas exteriores. Nossa Lua carrega as cicatrizes deste período irregular e confuso, chamado de Bombardeio Pesado Tardio, de cerca de 4 bilhões de anos atrás.

Diagrama Planetário

Fica aqui a pergunta: Seria tanta ilusão e fuga da realidade acreditar na existência e quem sabe o retorno deste tão falado e mítico planeta de tantos nomes?  Os cientistas parecem, já estarem, dando a “mão a palmatória” - ou será que estão preparando terreno para não serem depois cobrados e queimados na fogueira por não terem avisado?


Gério Ganimedes


Base da Pesquisa: Space.com, Fox News – Scitech, Wikipédia
Texto e tradução de segmentos de matéria: Gério Ganimedes
Adaptação e comentários: Gério Ganimedes


2 comentários:

  1. youtube. O RELOGIO. Debora e Ereni. O CHORO PODE DURAR UMA NOITE. Debora e Leia.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...